21/05/2017

Cozinha Americana

Cozinhas americanas com salas integradas pedem harmonia entre as decorações e macetes para não acumular sujeira

Ambientes integrados pedem harmonia entre as decorações e macetes para não acumular sujeira

A integração de ambientes tem sido cada vez mais comum em novas construções. Apartamentos menores pedem cozinhas e salas de jantar transformadas no mesmo ambiente. Além disso, a cozinha integrada à sala − conhecida como cozinha americana − caiu no gosto da família brasileira por ser prática, moderna e permitir a quem está cozinhando interagir com os convidados ou com a família.

O balcão que divide os ambientes (sala e cozinha) e serve como apoio ou mesa é uma das peças-chave para compor harmonia e beleza (Fotos: Divulgação)

O balcão que divide os ambientes (sala e cozinha) e serve como apoio ou mesa é uma das peças-chave para compor harmonia e beleza (Fotos: Divulgação)

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

09/04/2017

Saiba O Que É Avaliado Para Definir O Preço Do Imóvel

Quando é tomada a decisão da venda ou compra de um imóvel, a primeira pergunta é: quanto vale esse patrimônio? Para ajudar a responder essa pergunta, é sempre bom contar com um corretor de imóveis ou imobiliária de confiança. A seguir, vamos te mostrar quais os principais aspectos que impactam no valor do seu bem. Confira!

mansao-beverly-hills-8

 

Localização

A cidade, estado, bairro e rua em que seu imóvel se encontra impactam na precificação final. Em geral, as unidades de alto padrão e luxo se encontram nos bairros nobres, enquanto os mais acessíveis ficam na periferia.

Mas também é necessário avaliar alguns aspectos da região do imóvel, como a proximidade de serviços como supermercados, bancos e farmácias, acesso facilitado a serviços públicos ou grandes rodovias e mesmo áreas verdes ou de lazer como parques e praças.

Por fim, verifique os índices de criminalidade da região, identificando número e tipos de ocorrências frequentes no bairro. Assim, é possível confirmar se a segurança pode ser um fator positivo na valorização de imóveis.

Espaço Disponível

A metragem total do seu apartamento ou casa é um dos fatores-chave na hora da venda, sendo uma informação presente em todos os anúncios que você fará. Em geral, imóveis mais amplos, com grande área construída são mais caros que os menores.

No entanto, é preciso levar em conta fatores como a distribuição do espaço entre os cômodos. Por exemplo, casas com quartos e banheiros amplos, por exemplo, podem ser mais atrativos do que aqueles com salas enormes e quartinhos minúsculos.

Uma área não construída muito extensa como um quintal, pode ser um fator desfavorável se o seu público comprador quer optar por uma unidade com mais praticidade, por outro lado, pode ser o que família com crianças procuram.

Tempo Da Construção

A idade também pesa na valorização de imóveis e a regra, a princípio, é simples: quanto mais antiga a unidade, menor o seu valor final. Todavia, essa regra não é universal nem imutável: unidades bem conservadas, localizadas em edifícios com peso histórico ou em bairros tradicionais podem utilizar a sua longevidade como um diferencial.

Prédios ou casas construídos há pouco tempo em bairros novos, por sua vez, podem sofrer uma desvalorização justamente por não estarem em áreas que, provavelmente, não possuem toda a infraestrutura de um bairro tradicional.

Qualidade Da Estrutura E Acabamentos

Por fim, lembre-se que a qualidade interna de imóveis conta bastante na hora da precificação. Isso vale desde as condições de instalações elétricas e hidráulicas, passando por materiais utilizados em construções e reformas, bem como a presença de facilidades como armários embutidos ou gás encanado. O acabamento de toda a unidade também é um fator decisivo de compra e precificação: pisos, pintura, pias, porcelanas e torneiras de boa qualidade e bem conservados são detalhes que podem sim aumentar ou diminuir o valor de um imóvel de forma considerável.

Liquidez

Este também um dos mais importantes na hora de precificar um imóvel, o corretor sabe se é um imóvel que vende rápido ou demora um tempo mais long para venda e isso com certeza influenciará no seu preço final.

 

Fonte: Rodobens adaptado por Rafael Losch

 

 

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

16/10/2016

Entenda os custos adicionais para a compra de um imóvel

Se você está planejando comprar um imóvel e colocando na ponta do lápis quanto do seu orçamento irá disponibilizar para esse investimento, é importante resguardar também cerca de 4% do valor pretendido para despesas com documentos e impostos.

escritura No geral, os valores variam de acordo com a modalidade do negócio, se à vista ou financiado, o banco escolhido, o tipo do imóvel e como mencionado anteriormente, o valor do bem. De qualquer forma, há três custos certos que você precisa considerar:

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

26/09/2016

Automação Residencial, você ainda vai ter uma e vai ser logo.

Com a evolução da tecnologia, uso intenso dos smartphones e cada vez mais a necessidade de praticidade e facilidade dentro das residências, a Automação Residencial se torna uma ferramenta essencial para diversas pessoas.

Mesmo sendo realidade e crescendo a cada dia, é comum o desconhecimento do poder que esta tecnologia tem e seus benefícios para quem a adquire. Pois bem, neste artigo tentaremos esclarecer o que de fato é e para que serve a Automação Residencial.

auto1

O que é?

A Automação Residencial é uma tecnologia que visa integrar diversos tipos de sistemas, como por exemplo,  iluminação, persianas e climatizadores para que seu controle seja feito de forma mais facilitada e por vezes autônoma, sem a intervenção humana.  Um exemplo disso, é a utilização de sensores de luminosidade que podem fechar as persianas para não danificar os móveis da residência.

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

20/09/2016

Entenda definitivamente a diferença entre área útil, privativa e total de um imóvel

Muitas imobiliárias ainda tentam ludibriar o cliente na hora de explicar as metragens, entenda agora como funciona na prática.

entenda-definitivamente-diferenca-entre-area-util-privativa-total-imovel

Quando você começa procurar um imóvel e acaba ficando em dúvida do que realmente são as metragens que os corretores lhe passam, ou melhor, geralmente alguns acabam falando somente área total. Abaixo entenda melhor o que significa cada uma delas:

Área total: esta sim é a soma de todas as áreas do imóvel. É chamado de área total tudo aquilo que está dentro do terreno, ou do apartamento, contornados ou não por muros. Engloba todas as áreas comuns de um condomínio, como por exemplo, áreas de lazer, corredores, hall de entrada, etc. Por isso essa a única área possível para lotes por exemplo.

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

28/08/2016

Cinco dicas de home staging para vender mais rápido seu imóvel

Se você tem pressa em vender seu imóvel precisa conhecer a técnica do home staging! Calma, o nome até pode ser difícil, mas é bem fácil de ser desenvolvida.

O home staging já é muito utilizado lá fora e nada mais é do que um marketing para o seu imóvel, ou seja, a sua casa vira uma vitrine de loja que chama a atenção dos compradores. Isso mesmo, você vai deixar sua casa mais agradável e atraente. Com isso, o tempo de venda é cerca de 50% mais rápido, e a valorização do imóvel pode chegar até 15% do valor real.

É preciso deixar os ambientes impecáveis (Foto: Shutterstock)

É preciso deixar os ambientes impecáveis (Foto: Shutterstock)

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

14/08/2016

Irmãos à obra – Ensinam 2 truques muito simples para vender um imóvel por mais dinheiro

irmaos-a-obra-lateral-612x344Em muitos casos, um pequeno detalhe pode fazer total diferença para lucrar mais com uma venda.

De acordo com Jonathan e Drew Scott, estrelas de televisão do programa “Irmãos à Obra”, não é preciso muito dinheiro para conseguir vender sua casa por um valor maior. Em matéria do site Business Insider , eles comentam que, na verdade, existem dois truques praticamente inexpressivos que podem ser usados para convencer compradores a pagar mais.

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

01/08/2016

Saiba como usar o FGTS para abater a dívida do seu financiamento imobiliário.

Reduzir a dívida sem tirar um real do bolso pode parecer milagre, mas não é. Basta usar o dinheiro do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

a hand holds a single key Quem vive de aluguel e sonha com a casa própria não vê a hora de estar morando naquilo que é seu. Há também aqueles que já conquistaram o próprio teto por meio de financiamentos habitacionais e, agora, sonham com o dia em que as prestações chegarão ao fim. Com a explosão dos financiamentos de imóveis nos últimos anos, há milhares de pessoas nessa situação. Muitos desses novos proprietários nem sabem, mas há uma alternativa para quitar o financiamento de forma bem mais rápida, ou então, fazer com que as prestações fiquem mais suaves. Reduzir a dívida sem tirar um real do bolso pode parecer milagre, mas não é. Basta usar o dinheiro do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Mesmo tendo usado o FGTS para dar a entrada no financiamento imobiliário, os mutuários podem fazer saques do fundo a cada dois anos ou mesmo todos os anos, em caso de extrema necessidade. Dependendo de quanto o proprietário do imóvel está pagando e do seu saldo no fundo de garantia, recorrer a essa possibilidade pode significar a economia de pelo menos o dobro do valor sacado do FGTS. Isso porque esse direito trabalhista pode ser empregado para abater o saldo devedor (a dívida propriamente dita) do financiamento do imóvel, diminuindo o número de prestações e fazendo desaparecer do boleto os juros e as taxas dessas prestações pagas antecipadamente.

A receita é simples, de acordo com Rúbia Aita Xavier, gerente da Caixa Econômica Federal. O cliente precisa estar financiando o seu primeiro imóvel, estar trabalhando há pelo menos três anos no regime do FGTS, ter no máximo três prestações em atraso e possuir o valor equivalente a no mínimo cinco prestações no saldo do fundo de garantia. Respondendo a essas condições, é só o cliente decidir como quer usar esse recurso.

“O fundo de garantia pode ser usado tanto como entrada no financiamento como também para amortizar, liquidar ou para pagar parte da prestação. Se o cliente quiser abater a dívida do financiamento, pode reduzir o prazo ou diminuir o valor da prestação. Pode fazer uma de cada vez ou usar uma parte do valor para uma situação e outra para a outra”, explica Rúbia.

Uma terceira alternativa é o cliente destinar o saldo do FGTS para pagar uma parte das prestações dos próximos 12 meses. Se comparada com as outras opções, esta é a menos vantajosa, porque o fundo de garantia, que é uma reserva do trabalhador, acaba sendo usado para pagar juros e taxas, além de ajudar a quitar a dívida. Mas usar o fundo e conseguir reduzir em até 80% o valor das prestações por um ano pode ajudar muita gente a sair do aperto e reorganizar as contas.

Fonte: ZAP Imóveis

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

17/07/2016

Quartos de hotéis são opção de investimento imobiliário

Redes de hotéis estão abrindo seus empreendimentos para compradores externos. Valorização do imóvel e rendimento mensal são os principais atrativos do negócio

ibis Depois dos empreendimentos de uso misto, que agregam unidades residenciais e quartos de hotel, as incorporadoras têm demonstrado especial interesse em projetos exclusivamente hoteleiros. O suporte para tal empreitada se dá por meio de parcerias com grandes redes hoteleiras e, principalmente, da abertura de suas unidades para investidores externos que queiram comprar quartos dos chamados condo-hotéis.

Para os administradores, essa modalidade proporciona a captação de recursos que financiam o empreendimento. Para os investidores, a perspectiva de rendimentos creditados mensalmente na sua conta corrente e de constante valorização do seu patrimônio estão entre os principais motivos que fazem esse tipo de negócio valer a pena.

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

03/01/2016

2016 começa com novos limites no Minha Casa Minha Vida

Novos limites para financiamento de imóvel pelo Minha Casa, Minha Vida começam a valer segunda-feira.

Sorteados-Minha-Casa-Minha-Vida-Natal-–-RN

Começa a valer, na próxima segunda-feira, 4 de janeiro, o novo teto para financiamento de imóvel pelo programa Minha Casa, Minha Vida. Em Passo Fundo, por exemplo considerada uma capital regional, o limite do valor da casa ou apartamento passa a ser de R$ 160 mil.

As novas regras haviam sido publicadas no Diário Oficial da União de 15 de dezembro, em três portarias do Ministério das Cidades, e começam a valer na próxima segunda-feira, para todo o país. Antes disso, em outubro, o Conselho Curador do FGTS havia aprovado os novos valores.

Uma das mudanças é a nova divisão territorial dos limites. Rio Grande do Sul e Santa Catarina terão as mesmas taxas dos demais Estados da Região Sul, além de Minas Gerais e Espírito Santo, por exemplo.

Com isso, as compras de imóveis por financiamento que já estavam em negociação e deverão ser assinados a partir de segunda podem ser recalculadas para contemplar os novos limites. Para algumas capitais, como Porto Alegre, o limite chega a R$ 200 mil.

Para capitais regionais com  menos de 250 mil moradores, o teto passará para R$ 160 mil, como é o caso de Passo Fundo

Cidades com população entre 50 mil e 250 mil pessoas, o limite é de R$ 130 mil. Quando a população for de 20 mil a 50 mil, o teto será de R$ 100 mil e, nos demais municípios, de R$ 90 mil.

As portarias também alteram as faixas de renda que se enquadram nas categorias 2 e 3 do programa habitacional. Na faixa 2 do programa, famílias que ganham até R$ 2.350 brutos por mês pagam 5,5% de juros anuais.

Fonte: Zero Hora

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

  • Rafael Losch
  • +55 54 8403 2915
  • rafalosch@gmail.com