04/06/2017

CoLiving, a tendência da moradia compartilhada!!!

O CoLiving, de um modo geral, é fruto da confluência de vários fenômenos recentes da sociedade contemporânea.

Lá na origem, estão algumas iniciativas isoladas, como as famosas repúblicas de estudantes e as moradias compartilhadas, iniciativas de pessoas que dividiam seus apartamentos com outras pessoas em troca de um valor, possibilitando assim a redução dos custos individuais com a manutenção dos imóveis. Mais recentemente, surgiram iniciativas como o Airbnb, um sistema que integra pessoas interessadas em alugar imóveis ou acomodações para turistas, que buscam condições de hospedagem que caibam em seu bolso.

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

19/02/2017

Comprar ou alugar? Veja aqui o que é mais vantajoso!


Blog-Imagens-Compar-ou-alugar-2 A aquisição da casa própria é o sonho de grande parte brasileiros, o que faz com que muita gente vá em busca de informações sobre financiamentos, custo de documentação, vantagens da casa própria frente ao aluguel, entre outras. Para melhor atender aos seus clientes e oferecer máxima credibilidade em informações, você, como corretor, deve estar pronto para esclarecer essas dúvidas. Preparado para testar seus conhecimentos? Acompanhe o post!

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

27/11/2016

Conselho amplia limite de financiamento de imóveis com recursos do FGTS, em Passo Fundo passa para até 800 mil.

fgts2 Os mutuários que comprarem imóveis novos e usados financiados com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ganharam um incentivo. O Conselho Monetário Nacional (CMN) ampliou hoje (24) o valor máximo dos empreendimentos que podem ser financiadas pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), que cobra juros menores que os demais financiamentos de mercado.

Com a mudança, o teto de financiamento subiu de R$ 650 mil para R$ 800 mil na maior parte do país, como é o caso de Passo Fundo. No Distrito Federal, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro e em São Paulo, o limite passou de R$ 750 mil para R$ 950 mil. A última vez em que esses limites tinham sido alterados foi em setembro de 2013.

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

16/10/2016

Entenda os custos adicionais para a compra de um imóvel

Se você está planejando comprar um imóvel e colocando na ponta do lápis quanto do seu orçamento irá disponibilizar para esse investimento, é importante resguardar também cerca de 4% do valor pretendido para despesas com documentos e impostos.

escritura No geral, os valores variam de acordo com a modalidade do negócio, se à vista ou financiado, o banco escolhido, o tipo do imóvel e como mencionado anteriormente, o valor do bem. De qualquer forma, há três custos certos que você precisa considerar:

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

14/08/2016

Irmãos à obra – Ensinam 2 truques muito simples para vender um imóvel por mais dinheiro

irmaos-a-obra-lateral-612x344Em muitos casos, um pequeno detalhe pode fazer total diferença para lucrar mais com uma venda.

De acordo com Jonathan e Drew Scott, estrelas de televisão do programa “Irmãos à Obra”, não é preciso muito dinheiro para conseguir vender sua casa por um valor maior. Em matéria do site Business Insider , eles comentam que, na verdade, existem dois truques praticamente inexpressivos que podem ser usados para convencer compradores a pagar mais.

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

01/08/2016

Saiba como usar o FGTS para abater a dívida do seu financiamento imobiliário.

Reduzir a dívida sem tirar um real do bolso pode parecer milagre, mas não é. Basta usar o dinheiro do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

a hand holds a single key Quem vive de aluguel e sonha com a casa própria não vê a hora de estar morando naquilo que é seu. Há também aqueles que já conquistaram o próprio teto por meio de financiamentos habitacionais e, agora, sonham com o dia em que as prestações chegarão ao fim. Com a explosão dos financiamentos de imóveis nos últimos anos, há milhares de pessoas nessa situação. Muitos desses novos proprietários nem sabem, mas há uma alternativa para quitar o financiamento de forma bem mais rápida, ou então, fazer com que as prestações fiquem mais suaves. Reduzir a dívida sem tirar um real do bolso pode parecer milagre, mas não é. Basta usar o dinheiro do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Mesmo tendo usado o FGTS para dar a entrada no financiamento imobiliário, os mutuários podem fazer saques do fundo a cada dois anos ou mesmo todos os anos, em caso de extrema necessidade. Dependendo de quanto o proprietário do imóvel está pagando e do seu saldo no fundo de garantia, recorrer a essa possibilidade pode significar a economia de pelo menos o dobro do valor sacado do FGTS. Isso porque esse direito trabalhista pode ser empregado para abater o saldo devedor (a dívida propriamente dita) do financiamento do imóvel, diminuindo o número de prestações e fazendo desaparecer do boleto os juros e as taxas dessas prestações pagas antecipadamente.

A receita é simples, de acordo com Rúbia Aita Xavier, gerente da Caixa Econômica Federal. O cliente precisa estar financiando o seu primeiro imóvel, estar trabalhando há pelo menos três anos no regime do FGTS, ter no máximo três prestações em atraso e possuir o valor equivalente a no mínimo cinco prestações no saldo do fundo de garantia. Respondendo a essas condições, é só o cliente decidir como quer usar esse recurso.

“O fundo de garantia pode ser usado tanto como entrada no financiamento como também para amortizar, liquidar ou para pagar parte da prestação. Se o cliente quiser abater a dívida do financiamento, pode reduzir o prazo ou diminuir o valor da prestação. Pode fazer uma de cada vez ou usar uma parte do valor para uma situação e outra para a outra”, explica Rúbia.

Uma terceira alternativa é o cliente destinar o saldo do FGTS para pagar uma parte das prestações dos próximos 12 meses. Se comparada com as outras opções, esta é a menos vantajosa, porque o fundo de garantia, que é uma reserva do trabalhador, acaba sendo usado para pagar juros e taxas, além de ajudar a quitar a dívida. Mas usar o fundo e conseguir reduzir em até 80% o valor das prestações por um ano pode ajudar muita gente a sair do aperto e reorganizar as contas.

Fonte: ZAP Imóveis

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

03/01/2016

2016 começa com novos limites no Minha Casa Minha Vida

Novos limites para financiamento de imóvel pelo Minha Casa, Minha Vida começam a valer segunda-feira.

Sorteados-Minha-Casa-Minha-Vida-Natal-–-RN

Começa a valer, na próxima segunda-feira, 4 de janeiro, o novo teto para financiamento de imóvel pelo programa Minha Casa, Minha Vida. Em Passo Fundo, por exemplo considerada uma capital regional, o limite do valor da casa ou apartamento passa a ser de R$ 160 mil.

As novas regras haviam sido publicadas no Diário Oficial da União de 15 de dezembro, em três portarias do Ministério das Cidades, e começam a valer na próxima segunda-feira, para todo o país. Antes disso, em outubro, o Conselho Curador do FGTS havia aprovado os novos valores.

Uma das mudanças é a nova divisão territorial dos limites. Rio Grande do Sul e Santa Catarina terão as mesmas taxas dos demais Estados da Região Sul, além de Minas Gerais e Espírito Santo, por exemplo.

Com isso, as compras de imóveis por financiamento que já estavam em negociação e deverão ser assinados a partir de segunda podem ser recalculadas para contemplar os novos limites. Para algumas capitais, como Porto Alegre, o limite chega a R$ 200 mil.

Para capitais regionais com  menos de 250 mil moradores, o teto passará para R$ 160 mil, como é o caso de Passo Fundo

Cidades com população entre 50 mil e 250 mil pessoas, o limite é de R$ 130 mil. Quando a população for de 20 mil a 50 mil, o teto será de R$ 100 mil e, nos demais municípios, de R$ 90 mil.

As portarias também alteram as faixas de renda que se enquadram nas categorias 2 e 3 do programa habitacional. Na faixa 2 do programa, famílias que ganham até R$ 2.350 brutos por mês pagam 5,5% de juros anuais.

Fonte: Zero Hora

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

22/11/2015

Irmãos que ficaram milionários investindo em imóveis dão 9 dicas para você

O investimento em imóveis costuma ser um dos preferidos dos brasileiros

mansao-marbella

O investimento em imóveis é um dos preferidos dos brasileiros há muito tempo, mesmo que muitas vezes não seja feito da maneira mais correta. Os irmãos gêmeos americanos Kelly e Chris Edwards também investem nessa modalidade e são especialistas. Desde 2002, eles aumentaram seu patrimônio de uma única casa para quase US$ 8 milhões. Em entrevista ao site Business Insider, eles dividem nove dicas com quem quiser entrar nesse mercado.

1 – Reconheça que seus investimentos são negócios e se planeje
“Se você vai entrar no mercado imobiliário, gostando ou não, vai ser um negócio. Se comprar apenas uma propriedade, vai tomar parte da sua vida, então você deve leva-la a sério e planejar para o futuro”, afirma. Antes de comprarem o primeiro imóvel, ainda em 2001, os irmãos fizeram um plano de ação para os próximos anos, como em uma empresa.

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

12/10/2015

7 dicas para a venda do seu imóvel ser um sucesso

venda Ainda que você não seja um investidor imobiliário, se você tem um imóvel próprio e deseja vendê-lo, certamente quer fazê-lo no menor tempo possível e conseguir o melhor preço – principalmente se for um segundo imóvel que só está dando despesa. Mas para isso, é preciso ter iniciativa e não ser intransigente demais nas condições.

A menos que você tenha um imóvel realmente irresistível e com um grande diferencial, vale a pena observar alguns cuidados para conseguir fazer uma venda de sucesso:

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

07/09/2015

VEM AÍ O MINHA CASA MINHA VIDA 3

Em meio às notícias de crise política, desemprego, alta do dólar e desaceleração da economia vem aí uma notícia que vai animar o mercado imobiliário. O Ministro das Cidades, Gilberto Kassab, comentou nessa semana que, até fim de outubro, será lançada  a terceira etapa do programa Minha Casa Minha Vida.

banner_minha_casa_minha_vida O Minha Casa Minha Vida é um programa do Governo federal destinado ao financiamento do primeiro imóvel. Para se habilitar ao crédito o interessado não pode ter imóvel em seu nome, deve ter renda entre R$ 1.600,00 e R$ 5.000,00 e não pode ter sido beneficiado por outro programa de financiamento habitacional. O Minha Casa Minha Vida utiliza recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

leia mais…

Rafael Losch
Postado por: Rafael Losch

  • Rafael Losch
  • +55 54 8403 2915
  • rafalosch@gmail.com